Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Blog da Cristina

Mais um blog ... Mas este é diferente, porque é meu! E é um blog sobre ...

O Blog da Cristina

Mais um blog ... Mas este é diferente, porque é meu! E é um blog sobre ...

Dia do Pânico, para mim vai ser amanhã 45, 45, 45 ...

D64F4AEE-8C0E-448E-9DAB-9384FCBF793D.png

 

Ontem à noite de repente fui atingida pelo pânico. 45?

Já é muita idade não é?

Há aquela história de que os 40 são os novos 30 e que as pessoas têm um ar mais jovem.

Mas mesmo assim, começa a notar-se.

Bem, mas como o dia do pânico foi criado para nos prepararmos para situações mais complicadas lá vou eu tentar manter a calma e pensar que  é só mais um ano, e que é mais uma oportunidade.

Bjs

PS - amanhã faço 45!

 

 

Educar A.I e D.I.

DA3DEDDB-73A9-4F23-AE77-8E5A70FD6D54.png

 

 

Afinal o que é o A.I. e o D.I.?

ANTES da INTERNET e DEPOIS da INTERNET.

Tenho cá para mim que a diferença é abismal.

As crianças são crianças na mesma, mas têm acesso a uma quantidade de informação tal, que é impossível que se comportem da mesma forma.

Para eles é normal terem 500 mil canais de TV, que em todo lado há internet, toda a gente anda sempre com um telemóvel, os carros são muito mais evoluídos alguns com internet, muitas aplicações, muitos jogos, iPads, enfim ... muitas tentações.

A vida deve parecer-lhes tão mais fácil.

E o que é que isto influi na forma de educar?

Em tudo.

A verdade é que é preciso continuar a aprender a ler, a fazer contas, cozinhar, tratar da roupa, saber caminhos, saber alguns números de telemóvel, ser culto, ser criativo, ter imaginação e criatividade, ser responsável e educado, viver para além do virtual.

Como se explica a uma criança que tem que aprender se está tudo ali explicado na internet?

É muito bom ter máquinas para ajudar, mas e se falham?

E esta conversa toda o que tem a ver com a educação? Tudo.

A.I. os pais não tinham que lidar com esse gigante enorme que é a INTERNET com tudo de bom e mau que envolve.

É mais um item com que se tem que lidar, mais um tema para impor limites e encontrar o ponto de equilíbrio, nem dar demais nem tirar demais. Parece simples?

A internet é viciante para todas as idades, todas mesmo. E como se encontra o equilíbrio a lidar com algo que é viciante, por um lado, e indispensável por outro? Sim, porque o futuro é internet, em principio, que neste mundo ao contrário nunca se sabe.

E agora vamos fazer um cocktail explosivo, vamos misturar internet e adolescência ...

Estou neste ponto ... 

Bjs

 

Homens com barba (no presente ou futuro) atenção

 

65174A07-3EC2-4D5A-A97B-11AA5D035880.jpeg

8A1C9A4E-3C75-48B8-90C9-B1F17BF5FDB2.jpeg

 

A pele da cara das senhoras e crianças é sensível.

A barba dos homens em certos estádios de crescimento pica.

Quando acontece a junção destes dois elementos quem sofre é o elo mais fraco.

Tendo em atenção esta premissa e não podendo o elo mais fraco fazer muito para melhorar a situação, gostava de alertar os homens com barba para este fenómeno e para uma possível solução.

A mais radical era tirarem a barba, mas a coisa está tão na moda e deve dar tão menos trabalho que não me parece, para já, que seja viável.

A outra solução é comprarem shampo, amaciadores, óleo tudo produtos específicos para a barba, que já existem no mercado, alguns podem ser aplicados no banho e nem são demasiado caros.

Deixo aqui exemplos destes produtos e por favor homens com barba tenham atenção ao meu apelo.

Bjs

 

Aventura no dentista atribulada

3EF3A1FD-A1C2-4A7D-ADC4-E98F723097C2.png

 

Hoje o post é mais um desabafo que outra coisa qualquer.

Quando se muda de cidade há mais um pormenor a ter em conta que obviamente nunca pesa na decisão da mudança, mas que tarde ou cedo temos que resolver.

Mudança de cidade equivale a mudança de médicos.

Hoje vou-me focar no médico dentista, todos sabemos que há muitos, mas todos sabemos também que nem sempre são bons e cada vez mais a medicina é um negócio.

Trabalhar em medicina, não é o mesmo que trabalhar numa oficina, mas alguns profissionais esquecem-se disso algumas vezes. 

Antes de mais dizer que estava muito mal (bem) habituada à Dra. Anabela Peres de Sousa no Porto, era tão querida, mas tão querida  e eficiente que torna o processo de encontrar outro dentista ainda mais complexo. Se estiverem pelo Porto aconselho vivamente http://anabelaperesdesousa.pt/clinica

Com muito esforço e ao fim de alguns anos lá encontrei uma dentista que me estava a parecer bem.

Mas a semana passada aconteceu-me mais um episódio de uma novela que já se anda a arrastar há algum tempo e para o qual eu tenho tido bastante paciência, mais do que é habitual na minha pessoa.

Estou a tentar terminar um tratamento na Clinica de Santa Madalena, desde Maio, estava a aguardar pela minha dentista Dra Catarina Carvalho, que teve complicações pessoais por este motivo não perdi a paciência mais cedo, apesar de achar que uma Clinica tão grande devia ter forma de colmatar estas situações.

Em Junho como não me contactavam da Clinica para terminar tratamento e na eminência de mudar de cidade decidi que fazia o tratamento com o Dr. David Beja também da mesma Clinica. O processo não correu bem acabou por tirar o que tinha feito sem me dar explicações, e sem sequer investigar o que estava errado. Como correu mal decidi esperar pela minha Dra. mesmo com a dificulade de conciliar agendas, porque ela está pouco tempo e eu estou fora. Mesmo assim marcámos para Dezembro nas férias escolares, chega o dia desmarcam a consulta, e marcam quase na altura do meu regresso. Não gostei mas aceitei.

No dia chego e o trabalho fica mal, igual ao que o outro Dr tinha feito, voltei à Clinica no Tagus Park trocaram uma “peça”, ficou igual e a Dra Catarina disse para voltar no dia seguinte que ia enviar para laboratório e no dia seguinte já estaria bem.

Voltei toda contente no dia seguinte e o que ela tinha para mim era algo provisório, porque a definitiva tinha mesmo problemas, não gostei e fiquei um bocado nervosa sem nunca me descontrolar a Dra. não gostou e desatou a gritar comigo a dizer que eu é que a tinha escolhido e que ela tinha tido problemas. 

Achei surreal ... ainda tentou colocar a provisória mas acabei por dizer que era melhor deixar como estava. A acrescentar que o tratamento já está todo pago.

Falei com a responsável da Clinica do Colombo, bem mais calma, e agora estou a aguardar por noticias ...

Bjs

 

 

1,50 m

AA806700-D98C-4CA9-A63F-6178C042A48B.png

 

Ontem ouvi um comentário de uma senhora, algo do género - o meu filho (adolescente) arranjou uma namorada de 1,5m coitada tem um ar frágil. (E não me parecia muito agradada).

Eu do alto dos meus 1,5m tive que referir que isso não quer dizer nada, também podia ter estado calada, mas não consegui.

Desde quando é que as mulheres se medem aos palmos?

Será que as mulheres mais baixinhas não conseguem fazer o mesmo que as outras super altas?

Há coisas que podemos tentar controlar no nosso corpo, a altura não é uma delas, já a inteligência para dizermos menos parvoíces é do nosso total controlo, desde que estejamos na posse de todas as nossa faculdades mentais.

É muito importante passar a ideia às crianças que a altura não interessa para nada, é que parvoíces destas podem marcar muito ...

Vou dar um desconto de ano novo à senhora, se calhar, já tinha bebido um bocadinho de mais, deve ter sido isso...

Feliz 2018 com menos ideias tristes ...

Bjs

 

Quase, quase a acabar e quase, quase a começar

B2A0AC09-09FD-478E-8A4B-9C78EEA39422.png

 

 

Mais uma mudança de ano, mais um número que vai embora, e para não variar chega um novo ano, desta feita bem redondinho e ainda por cima par. 

Todos queremos acreditar que vai ser melhor, todos desejamos que seja melhor, mas no fundo todos sabemos que as coisas menos boas, infelizmente, fazem parte. Se não acontecessem coisas más se calhar nem dávamos tanto valor aos bons acontecimentos.

Há muita gente que vive bem à custa de acontecerem coisas más aos outros - doenças, acidentes, estragos, etc. - não é bonito, mas é verdade.

E ainda bem que existem essas pessoas para nos ajudarem, são essenciais nos momentos menos bons.

O melhor sempre é ter esperança e não pensar no que pode acontecer de mal, porque há sempre tanto que pode correr mal, que o melhor é não enviar pensamentos negativos para o universo.

Como costumo dizer aos meus filhos, o mais importante é o esforço e o empenho que colocamos para que algo corra bem, depois se não correr bem paciência, mas pelo menos tentámos dar o nosso melhor.

Adeus 20017, Bem vindo 2018

 

 

 

As crianças habituam-se a tudo e rápido, será?

9BF454BA-E886-45D7-A6C3-6306D19117A8.png

 

Quando alguém fala de mudanças com crianças toda a gente diz o mesmo - as crianças habituam-se muito rápido.

Será?

Se as crianças são futuros adultos, se a personalidade de uma pessoa começa a formar-se desde pequeno e algumas características já vêm de “fabrica”, e se para os adultos são difíceis as mudanças, porque raio deviam ser fáceis para as crianças?

A questão é mais o que é uma criança podia fazer se não se habituasse às mudanças?

Sair de casa? Fugir? Decidir trocar de escola?

Se o tratam bem, tem casa, se tem comida, fugir para onde?

Resta-lhe fazer birras, que só vão irritar mais os adultos, porque não se esqueçam estes também estão em processo de mudança. Mas o adultos, os decisores, têm que ser calmos e compreensivos, dizem as novas teorias. 

Se a calma se vendesse em pacotes e não fizesse mal à saúde eu passava a ser Cliente.

Da última vez que me disseram a mesma lenga lenga eu sorri e deixei-me estar calada, porque agora percebo que é mais uma frase de encorajamento do que uma verdade.

E neste post não estou só a falar de mudanças de cidades e de países, mas também de adolescência, de crescimento, basicamente da vida que muda todos os dias mesmo que nós não contribuamos para isso. E ainda bem que assim é, porque senão era uma monotonia desgraçada. 

O segredo está em perceber que a maior parte do que nos acontece é perfeitamente normal, mas nós como imperfeitos que somos queríamos era a perfeição e não a normalidade, e isso como toda a gente sabe não existe, pelo menos neste mundo que conhecemos. Resta-nos aceitar e compreender ou então não e fazer uma enorme birra de adultos, porque uma birra contida pode explodir em momentos menos apropriados.

Bom fim de semana.

Bjs 

PS - este é o meu primeiro desenho feito no iPad ... se tivesse agora 5 anos tinha ficado igual ...

 

Porque morre gente boa?

CD8FE63C-E0F3-4B27-949E-BF04B66A9D15.jpeg

 

A vida não faz sentido e por certo não é para fazer.

Ontem li que uma blogger - Sónia Morais Santos, de quem gosto muito tinha colocado um post a cancelar uma série de actividades. Para ela fazer isso é porque algo de estranho e grave tinha acontecido.

Acabei de descobrir que um jornalista de quem ela gostava muito e eu também tinha morrido. E mais um actor.

Nunca conhecemos verdadeiramente as pessoas, muito mais estas que só conhecemos de ver o seu trabalho, mas que fazem parte da nossa vida, às vezes estamos tão aborrecidos ligamos a televisão ou internet e por uns momentos esquecemos as nossas coisas e vivemos aqueles problemas e alegrias imaginados por alguém, que não são nossos nem de ninguém,  mas que nos distraem. Ou então lê-mos algo que nos deixa a pensar - afinal não sou só eu que estou a viver isto e é como um calmante. O trabalho destas pessoas é muito importante, são a companhia de muita gente, por muito triste que possa parecer.

Há pessoas extraordinárias a escrever a representar, porque todos os dias dão um bocadinho de si, e expormo-nos nunca é fácil é arriscarmo-nos a ter que ouvir opiniões que podem não ser boas, ter que lidar com isso, seguir em frente e arriscar amanhã outra vez.

Andamos a correr de mais, a querer tudo de mais, a exigirmos muito de nós e dos outros.

Para quê, afinal?

Vivemos tempos em que nada é seguro mudar e desistir tornaram-se banalidades. Não estás bem? Muda, mas muda já ...  Será o caminho?

Dizia-me esta semana uma mãe espanhola - por vezes andamos a correr por vermos os outros a correr e perguntamo-nos - mas afinal porque ando eu a correr também?

E se o nosso corpo não foi desenhado para tanta correria, aguenta um tempo, vai dando sinais e se não o ouvimos a bem, sofremos as consequências, que por vezes são fatais.

Como não conhecemos o que está para lá do fim, até pode ser bom mas não sabemos, só nos resta aproveitar o que temos agora, porque a verdade é que desconhecemos o que vai acontecer no segundo seguinte. 

E a pergunta fica no ar - Porque morre gente boa?

Bjs

Nova rubrica do blog - Série - A vida com 3 homens

 

703DE8A4-3A12-4FFB-A7D1-EF9D66AB6BCF.jpeg

 

 

Mãe super irritada porque o filho para além de ter papéis do lanche no bolso, rebentou uma caneta dentro do bolso das calças do uniforme e tinha uma enorme mancha azul nas maravilhosas calças beijes.

Depois de horas a tentar fazer alguma coisa pelas calças (leite, detergente, limão, álcool), e a ralhar claro, entretanto atrasada com trabalhos de casa, jantares e afins ... chega o Pai ...

- Sabes a todos já aconteceu isso alguma vez na vida, perguntastes à tua mãe se alguma vez lhe aconteceu?

À mente da mãe só chegam palavras que supostamente não se devem proferir, especialmente em frente de crianças, e frases pouco dignas de uma senhora tipo - Estou todo dia e noite com as crianças e chega este cabr... carinho e mete-se com teorias.

Homens ...

Pensam que o menino aprendeu? Não, a mãe encontrou nova caneta agora num lindo casaco de uniforme, esta com tampa, por sorte.

Haja paciência!

Bjs

Viúvas

F41D28A4-9D6D-4097-871B-C95E1C583E2E.jpeg

 

A minha vida tem tempos distintos das típicas mães trabalhadoras, o que faz com que conviva com mulheres em faixas etárias mais avançadas.

Já era assim e agora continua.

Tenho uma estatística minha que é os homens normalmente morrem primeiro. É minha, nada provado, nem li em lado nenhum.

Mas à minha volta acontece assim muitas vezes. Estranho, porque supostamente os homens seriam a parte forte da equação, ou não?

Mas será que são fortes para aguentarem um tal desgosto, ou são demasiado dependentes?

Será que o universo lhes poupou mais esse sofrimento?

Pois, não sei.

Voltando ao meu contacto com as mulheres de mais idade física, porque a mental é outra coisa distinta. Quando vou buscar os meus filhos à hora do almoço há muitas avós e alguns, poucos, avôs. E elas precisam de conversar, mas não só com pessoas da mesma idade que elas, mas também com mais novas, que normalmente não estão, obviamente e por razões totalmente compreensíveis. Mas ainda vão havendo assim umas que fogem à regra e aparecem em locais fora do seu tempo. Assim tipo eu ...

Já costumo falar com uma senhora super simpática que é viúva e desde a semana passada conheci outra. Ontem pintou o cabelo de outra cor e dizia ... se eu estiver mal por favor digam-me. E ainda acrescentou é que nós as velhas andamos todas de cabelo curto e louras e disse isto para uma senhora tal e qual assim ... tenho cá para mim que as espanholas são muitos menos complicadas, mas não sei.

Continuando, ontem esteve a contar-me a história do marido que morreu de repente, não vos vou massacrar com os detalhes, porque alguns não compreendi bem. A senhora só precisa de alguém que a oiça, não que responda muito. De tal forma que acho que ainda não percebeu que não sou espanhola e que algumas coisas me custam a compreender. Ontem pensava que isso não interessa nada, interessa é terem alguém que as oiça, sorria e lhes dedique um pouco do seu tempo.

Esta mistura de faixas etárias é importante e cada vez acontece menos, tínhamos todos a ganhar e aprender.

Bom fim de semana.

Bjs